Alegada "impossibilidade" de ateísmo espírita tem origem nos dogmas de Chico Xavier

Mesmo os espíritas que pretendem retomar as origens da doutrina original se incomodam com a ideia de um mundo espiritual sem controle divino. Para eles, é indispensável a presença de uma liderança com características humanas no controle do mundo espiritual. Ou seja, mesmo que o mundo espiritual não seja uma igreja, é um mundo similar ao da Terra e por isso deve ter um homem administrando.

Os que defendem que o mundo espiritual deve ter uma liderança humana, mesmo que sejam anti-chiquistas, se basearam em Chico Xavier para pensar desta forma. Todos sabem que o que os brasileiros conhecem como "Espiritismo", foi totalmente esquematizado pelas obras de Chico Xavier. mesmo que o igrejismo tenha surgido antes, com Roustaing e Bezerra de Menezes, foram as obras do beato de Pedro Leopoldo que esquematizaram, tornando uma nova doutrina, totalmente e enrustidamente diferente da original.

Espíritas brasileiros que contestam Chico Xavier na verdade conheceram a doutrina por meio das obras dele, que foram posteriormente recusadas após análise profunda dos absurdos contidos. Afinal, Xavier sempre foi católico, nunca deixou de ser e suas obras tinham mais a ver com a igreja dos padres do que com a doutrina codificada na França. Confrontadas com as obras kardecianas, as obras de Xavier entra em graves contradições, com um negando o outro radicalmente.

Como foram acostumados com os ideais chiquistas, que é o que é falado nos centros tidos como "espíritas", mesmo negando alguns dogmas, ficou difícil se livrar completamente do dogmatismo do beato mineiro. Algum dogma sempre fica, a não ser que você recuse com firmeza a versão brasileira da doutrina, o que poucos fazem de fato, dado o carisma hipnótico que o suposto médium gerava graças ao estereótipo de bondade frequentemente associado a ele.

A crença em um mundo espiritual semi-igrejeiro, administrado por um invisível gigante humano sempre fica no subconsciente dos espíritas, que não conseguem viver sem ter um tutor no comando. Se esquecem da famosa pergunta feita por Kardec (o QUÊ é Deus?), o que deixa subentendido que o Deus humano não existe, o que caracteriza na verdade o ateísmo espírita.

A crença em um Deus humano tem mais a ver com os ideais de Chico Xavier, importados do Catolicismo medieval que ele seguia. Conservador e apegado aos dogmas de sua igreja, Xavier insistiu em divulgar suas crenças pessoais como se fizessem parte da doutrina, enganando muita gente e travando a evolução espiritual que necessitava do intelecto, algo sempre recusado pelo beato mineiro que considerava o raciocínio uma forma de pecado.

O que é fato é que o mundo espiritual não precisa de um administrador humano. As regras da Física, da Biologia e outras ciências, são auto-gestoras e ao invés de ficar os procurando um gigante de barba branca para ser cultuado, devemos conhecer mais as ciências, que é o que realmente controla a natureza. Chico Xavier já fez gigantescos estragos na doutrina. Porque ainda damos ouvidos a este intruso católico, totalmente analfabeto em questões espirituais?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em franca decadência, "Espiritismo" brasileiro, consagrado como uma igreja, apela para não acabar

Por um Espiritismo totalmente divorciado da religião