Ateísmo de Direita: quando a fé se transfere para assuntos políticos

Um comentário curto, mas sensato, foi publicado em uma comunidade em uma rede social: "Ateísmo de direita não faz sentido". Embora muita gente ache que sim, se observarmos com a lógica e colocarmos as peças na mesa, vamos concluir que ateísmo não combina com ideias de direita.


Sabemos que ideias de direita costumam cultuar lideranças, algo incompatível com o pensamento ateu, que recusa a crença em qualquer tipo de divindade, que na verdade são espécies de "lideranças espirituais" para quem acredita.


Pensei bastante sobre o assunto e concluí que os direitistas que se consideram ateus não estão sendo realmente ateus. Trocaram a fé religiosa pela fé na política. Trocaram as divindades pelo grande empresariado. E continuam a lançar teses com base na fé cega e desprovidas de racionalidade. Aliás, nunca vi um direitista dizer algo sensato que comprove a validade de suas convicções.


"Ateus" de direita transferem a fé para assuntos políticos


Os ateus de direita não desistiram da fé. Apenas transferiram para assuntos sobre política e economia. Os deuses para os direitistas são outros. Mas a realidade enxergada pelos direitistas é tão distorcida quanto a realidade enxergada pelo mais fanático dos beatos religiosos. 


Mesmo que fatos se apresentem diante dos direitistas, comprovando a inviabilidade de suas teses, eles continuam mantendo seu ponto de vista, pois para eles a realidade não é uma questão de lógica e sim de satisfação de interesses e confiança no "Deus Mercado", que é a principal divindade cultuada pelos que seguem as ideias de direita.


Confiar cegamente em suas lideranças, como se os maiores empresários do mundo fossem benfeitores, é algo visto quando fiéis confiam em divindades e nas lideranças religiosas. As próprias regras impostas pelos direitistas se baseiam na suposta infalibilidade de suas lideranças. Desejosos de flexibilizar regras que beneficiem as classes "inferiores", direitistas nunca flexibilizam suas exigências e as regras que beneficiam a eles mesmos. Justamente por enxergarem "perfeição" em todas as decisões do grande empresariado, que para seus admiradores, nunca erram.


Vejo muita similaridade entre o pensamento de direita e as religiões. Direitistas que se assumem ateus continuam tao religiosos quanto qualquer religioso. Só que a seita que eles seguem é outra, mas não muito diferente das tradicionais. Pois nela existem divindades, hierarquias, dogmas, sacerdotes, rituais, fé cega e uma forma precária de enxergar a realidade. 


Não existe ateu de direita. Os direitistas que se acham ateus apenas mudaram de seita e de deuses.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em franca decadência, "Espiritismo" brasileiro, consagrado como uma igreja, apela para não acabar

Alegada "impossibilidade" de ateísmo espírita tem origem nos dogmas de Chico Xavier

Por um Espiritismo totalmente divorciado da religião