Crença em Deus não necessita de provas, só de convicção

Não é de se estranhar o fato de que o procurador Daltan Dallagnol tenha falado que "não tem provas, mas convicção", quando acusou o ex-presidente Lula de ser "comandante máximo da corrupção", suposição que não faz o menor sentido, por mais desonesto que seja o líder petista. Dallagnol é palestrante evangélico e faz as suas palestras em igrejas para pessoas acostumadas a dispensar provas. Sabemos que a religiosidade é construída totalmente em torno de suposições (convicções), descartando totalmente a racionalidade.

Para religiosos, a racionalidade é nociva e a observação de fatos, dispensável. Seguros de que existe um ser gigantesco a cuidar de suas vidas, preferem entregar a ele toda a capacidade racional que é inerente ao ser humano. Para quem tem f´s, cérebro é enfeite e o importante é se entregar "de corpo e alma" para as decisões de um ser que ninguém conseguiu provar que existe. Mas não precisamos de provas, só de convicções. Não é, senhor procurador cristão?

Religiosos, além de irracionais, são teimosos. Não aceitam o diálogo. Não aceitam pontos de vista diferentes dos seus, pois acham que estando submissos ao ser gigantesco e poderoso no qual acreditam, têm a garantia de que estão com "a verdade", pois "quem pode ser contra a maior liderança do universo".

A crença em Deus é instintiva (necessidade de um tutor) e - por incrível que pareça - material. Tem base na noção de liderança que temos na Terra. Se a Terra tem seus líderes humanos, religiosos acham que o universo também se encontra sob responsabilidade de uma autoridade humana.

A religiosidade é forte em países onde a educação é precária e o senso crítico e o discernimento desestimulados. Apesar disso, religiosos se acham mais inteligentes que os outros por acreditarem em coisas que supostamente não são vistas por quem não é religioso. A crença no improvável soa como algo mais para quem gostaria de ver a realidade imitando o mundo imaginário da fé religiosa..

Mas como disse o digníssimo procurador, "não temos provas, mas temos convicção". 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em franca decadência, "Espiritismo" brasileiro, consagrado como uma igreja, apela para não acabar

Alegada "impossibilidade" de ateísmo espírita tem origem nos dogmas de Chico Xavier