O "Espiritismo" brasileiro quer Bolsonaro?

Não dá para negar que o "Espiritismo" brasileiro apoiou o golpe. Ancorado não na lógica, mas no mais podre moralismo religioso, decidiu eleger a abstrata corrupção como "maior mal do país" e se uniu às forças que exigiram a saída de uma presidenta honesta para colocar uma horda de piratas e mafiosos no lugar. O resultado é a crise crescente que temos hoje.

Mas até agora não vemos um retratação de "espíritas" quanto a isso. No lugar, vemos, quando a Lava Jato e o golpe estão totalmente desmoralizados, Divaldo Franco defendê-los de forma convicta, da mesma forma que Chico Xavier, que defendeu a ditadura militar quando ninguém a defendia mais. 

A ausência de algum representante da "seita de papalvos" entre os religiosos que visitaram Lula, joga mais lenha na fogueira do apoio "espírita" ao golpe que prejudica milhões de brasileiros. Afinal o que os "espíritas" querem para a nação que eles acham que lideraria o mundo a partir de 2019?

"Espíritas" vivem acreditando naquele sonho banal de Chico Xavier que foi transformado em "profecia" na tentativa desesperada de transformar o beato de Pedro Leopoldo em semi-deus, um acumulador de qualidades. Nele, o Brasil lideraria o mundo somente pelo fato de ser a maior nação em número de cristãos no mundo. Grande coisa!

Mas os planos de Xavier & CIA poderão ir direto para o esgoto se observarmos os fatos do mundo real. Estamos em um golpe que destrói o país e que elimina direitos indispensáveis para a dignidade humana. E as coisas poderão piorar de forma explosiva, caso um ex-militar que cresce nas pesquisas eleitorais graças a ignorância de muita gente, chegue ao poder em 2019.

Jair Bolsonaro tem se mostrado um perigo real que pode arrasar ainda mais um país que nunca foi de fato próspero, mas que durante as gestões petistas estava trabalhando para tentar ser. A mentalidade de Bolsonaro e seu projeto de governo, em boa parte elaborada por Paulo Guedes, um ultra-liberal dos mais sádicos, tem planos claros de destruir o Brasil de uma vez por todas.

Estranho ver "espíritas" como Chico, Divaldo e Robson Pinheiro descendo o sarrafo nas altruístas forças progressistas e que se calam diante da ameaça real do fascismo, que pode se concretizar com a chegada do irresponsável Bolsonaro ao poder. Será ele o candidato dos "espíritas" para o Brasil?

Imagine um traste, que chegou a ser preso por insubordinação e desordem, responsável pelas declarações mais imbecis que já se ouviu de um político, ser o "condutor do 'Coração do Mundo' "? Um indivíduo altamente preconceituoso, entusiasta da violência e cujo programa de governo vem sendo elaborado por um sujeito que não vê problema em manter a miséria em nosso país?

Se os "espíritas" assumirem de vez o apoio a Bolsonaro, estão assumindo aquilo que sempre esconderam: o rompimento violento com a doutrina de Allan Kardec, um esquerdista assumido e que pregou que fora da caridade (altruísmo) não há salvação. Pelo jeito os "espíritas", em franca decadência, desta vez não vão se salvar. O "Coração do Mundo" desceu ralo abaixo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espíritas e "espíritas" que recusam a possibilidade do ateísmo espírita não podem falar em ciência

Em franca decadência, "Espiritismo" brasileiro, consagrado como uma igreja, apela para não acabar