Deus "espírita" tem nome e imagem: Chico Xavier


Por mais exagerada que pareça ser esta constatação, ela tem o seu fundo de verdade. Chico Xavier, pelo tratamento que recebeu e pelo estigma construído ao seu redor, se transformou em uma divindade viva até a sua morte. Depois então, deve ter retornado ao seu posto de "Criador do Universo". 


O "Espiritismo" brasileiro é na verdade um Catolicismo híbrido que nunca se assume como tal. E talvez por isso mesmo, sua maior "liderança" (que na verdade era incompetente como líder) tenha sido divinizada, como se não apenas um santo, mas o próprio Deus encarnado.

Porque Chico Xavier era Deus e não um santo qualquer? Pela forma como é tratado e pela revolta que causa nos admiradores quando pessoas sensatas fazem críticas reais aos erros do médium, que nunca entendeu O Espiritismo, inserindo na doutrina um monte e ideias estranhas que contradizem frontalmente ao que foi descoberto pelo trabalho de codificação.

Embora seus defensores insistem em classificar as obras de Xavier como "complemento doutrinário", um exame cauteloso prova que as obras "psicografadas" pelo médium são na verdade uma violenta traição doutrinaria (traição, sem erro de digitação!). Xavier na verdade queria impor sua fé católica, mas adaptando-a aos ideais de vida pós-morte e reencarnação.

O mito de Xavier foi construído para ser uma coletânea de qualidades que pudesse confirmar sua condição de divindade viva. Ou do próprio Deus, pois a perfeição atribuída ao médium seria compatível apenas a suposta perfeição de Deus, o que leva a crer que para os fãs de Xavier, o médium era  próprio Deus encarnado.Como os católicos faziam com Jesus.

Mesmo que os "espíritas" tentem inventar reencarnações anteriores para Chico Xavier, alegando alguns que ele foi Kardec, outros que ele foi José de Anchieta, outros a Joana D'arc e alguns mais afoitos que ele era o velhinho do desenho do Cão Coragem, é explícito o tratamento de "Deus" que os admiradores e fiéis dão ao médium, considerado uma personalidade absoluta acima de toda a humanidade do universo.

Uma verdadeira tolice embutida em um cidadão que praticamente só cometeu erros e que tinha traços, ainda não confirmados, de retardamento mental, o que fazia falar de modo estranho e ser submisso a qualquer liderança que se apresente diante dele.

Com absoluta certeza, baseando nas defesas apaixonadas feitas ao próprio médium, Xavier é o "Deus dos espíritas". Materialistas enrustidos que constroem o mundo espiritual a imagem e semelhança da Terra, os "espíritas" se apressaram a dar uma cara e u nome a Deus e continuam até hoje a lutar para defendê-lo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em franca decadência, "Espiritismo" brasileiro, consagrado como uma igreja, apela para não acabar

Alegada "impossibilidade" de ateísmo espírita tem origem nos dogmas de Chico Xavier

Por um Espiritismo totalmente divorciado da religião