Deturpação "espírita" faz ateus recusarem existência de vida pós morte

O "Espiritismo" brasileiro, que nasceu deturpado e alterando de forma brutal todo o conteúdo doutrinário, apesar de ainda se "vender" como "ciência" está cada vez mais agarrado a dogmas de fé cega. Isso acabou por tirar a credibilidade do Espiritismo original e de seu descobridor, Allan Kardec, hoje reduzido a um mero "líder religioso".

Graças a essa perda de credibilidade que transformou a doutrina numa piada sem graça, as pesquisas sobre o undo espiritual e estados desconhecidos da matéria acabaram travando ou seguem timidamente apenas dentro dos meios espíritas. Para a ciência oficial, a vida pós-morte é impossível, o nada existe (tudo tem começo e fim) e espíritos são divindades religiosas, sendo a alma humana apenas um fator para animar o corpo, este o "verdadeiro ser".

Para qualquer religioso, a existência de Deus dá uma ilusão de segurança e organização e isso se baseia claramente na noção terrena de lideranças, onde as pessoas reprovam a anarquia. Organização e segurança sempre significa para muitos a presença de um líder, seja um político, empresário ou o próprio Deus.

Para quem não acredita em Deus, obviamente que o céu narrado pelas religiões não existe. Na verdade, religiões são mitologias modernas que são constantemente confundidas com a realidade. Elas distorcem a compreensão do mundo real, fazendo com que quem tem fé possa construir um mundo espiritual de acordo com convicções pessoais ou com o que for dito por lideranças consideradas confiáveis, como líderes religiosos.

Francisco Cândido Xavier foi uma dessas lideranças. Narrando um mundo espiritual no minimo risível, ele acabou confrontando diretamente com o Espiritismo original do qual discordava e preferiu construir o mundo espiritual com base no Catolicismo em que acreditava, mas com algumas alterações. 

Como a concepção de mundo espiritual lançada por Chico Xavier está em completo desacordo não somente com a realidade, mas também em desacordo com a doutrina que fala em um mundo espiritual totalmente desconhecido e sem referências terrenas, quem é sério acaba por descartar a existência do mundo espiritual, estigmatizado como um dogma religioso e portanto, sem sentido.

Chico Xavier fez um gigantesco estrago para a compreensão doutrinária, tirando a credibilidade daquilo que deveria ser a ciência espírita, hoje consagrada como mais uma igreja. Para nós aqui, o mundo espiritual existe, assim como formas desconhecidas de matéria. Pois o mundo espiritual na verdade é um mundo onde os estados físicos são menos densos. Nada a ver com o mundo divinizado relatado nas pseudo-psicografias, estas mais preocupadas em fazer propaganda igrejeira.

Um dia a Física tomará a iniciativa de estudar estados diferentes da matéria e desta forma descobrirá a não-matéria. O Espiritismo original, totalmente desacreditado por culpa do "Espiritismo" brasileiro, se calará diante da ciência e sem fora deixará de influenciar as mentes crédulas que enxergam em um beato mineiro metido a "intelectual 'espírita'" o "relator do mundo espiritual" quena verdade nunca entendeu nada sobre coisa nenhuma.

Graças a Chico Xavier, o mundo espiritual virou uma piada que faz com que os cientistas e os ateus nunca parem de dar risada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em franca decadência, "Espiritismo" brasileiro, consagrado como uma igreja, apela para não acabar

Alegada "impossibilidade" de ateísmo espírita tem origem nos dogmas de Chico Xavier

Por um Espiritismo totalmente divorciado da religião