Raiva dos "espíritas" contra os ateus é medo de concorrência

Já descobrimos o motivo do ódio que as lideranças "espíritas" estão tendo em relação aos ateus. E pasmem, é um motivo nada nobre e muito menos espiritualista.

Sabemos que o Movimento "Espírita", mesmo que não assuma, vive de tentar "aumentar o rebanho". Faz um trabalho pseudo-filantrópico apenas para angariar fiéis e mantê-los. Igualzinho como se faz nas igrejas pentecostais. É sabido que para esses pseudo-espíritas (que seguem Chico Xavier e similares) vivem dizendo que "todo mundo será 'espírita'", o que demonstra um desejo claro de aumentar a quantidade de seguidores dessa igreja doida.

Mas nada tem adiantado. Pesquisas sobre religião em quaisquer partes do país sempre mostram que o número de sem religião (ateus, agnósticos e os que se declaram como sem-religião) é bem maior do que o dos que se declaram "espíritas". Lembrando que muitos seguidores das religiões africanas e místicos em geral (ciganos, por exemplo), estão incluídos entre os que se declaram "espíritas".

Ou seja, além de estarem em número inferior dos sem religião, os adeptos da "religião que mais cresce no país" (sic), discípulos de Chico Xavier que fingem ser kardecistas, podem estar em número bem menor do que pensam. 

É bom lembrar que muita gente vai saindo (eu mesmo sou um que caiu fora desse "Espiritismo" pirata), pois as farsas cometidas pelas lideranças e os dogmas sem pé nem cabeça tem espantado pessoas sensatas que se interessam por espiritualidade, mas estão de saco cheio das bobagens defendidas pela FEB e difundidas por suas lideranças, incluindo os ultra-carismáticos Chico Xavier e Divaldo Franco, entre outros.

Por isso que lideranças como Simonetti e Carrara estão se contorcendo todos em suas poltronas pois não querem continuar perdendo para os sensatos que preferem a realidade do que lendas lindas de se ouvir. Por isso rogam pragas sobre os ateus, na tentativa de convertê-los a seguir o que Herculano Pires chamava de "Seita de Papalvos", a seita comandada pelo "homem-amor" Chico Xavier, o maior e mais bem sucedido charlatão que esteve na face da terra.

Vendo que os ateus não param de crescer, essas lideranças vem o seu ganha-pão diminuir com a redução do "rebanho" e acharam na "missão" de acabar com este êxodo, da pior maneira, praticando intolerância anti-ateísmo. Logo eles que vivem acusando os outros de intolerância.

Mas fiquem tranquilos. O ateísmo continuará crescendo porque ele se preocupa com a realidade. Enquanto os "espíritas" vão construindo um mundo espiritual ao seu bel prazer, cada vez mais parecido com o materialismo terrestre que eles gostariam que existisse.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em franca decadência, "Espiritismo" brasileiro, consagrado como uma igreja, apela para não acabar

Alegada "impossibilidade" de ateísmo espírita tem origem nos dogmas de Chico Xavier

Por um Espiritismo totalmente divorciado da religião